Te quiero, Barcelona

img_0583

Barcelona é como um filme de Almodóvar: tem de tudo, mistura tudo, é o lugar pra ser o que quisermos.

Pra mim essa cidade tem significados infindáveis pois foi onde conheci o amor (conheci o marido em 1999 na balada durante as férias em BCN), onde morei e fui extremamente bem recebida alguns anos mais tarde e pra onde sempre volto, ao menos uma vez por ano. Porém, não são necessários muitos motivos para amar Barcelona, é algo meio de pele, assim. Chegou, amou!

Nesse primeiro post apenas listarei os pontos turísticos mais óbvios que encontramos em qualquer guia e me apronfundarei nas dicas mais “insider”.

Sigam-me os bons!

 Barcelona é a maior e mais importante cidade da Catalunya e além de espanhol, as pessoas falam catalão, que soa como uma mescla de espanhol, português e francês para o ouvinte atento.

A viagem mais incrível para esse destino é aquela na qual não rola comprometimento com nada, nem de visitar pontos turísticos, e é possível apenas vagar pelas ruas observando, bebendo (sangria, cava, vinhos de Rioja), comendo e explorando os cantinhos mais bacanas.

É verdade que BCN esteve no auge e depois tornou-se tão hypada que ficou decadente: tudo muito cheio, meio sujo… A boa nova é que essa fase passou e a cidade está super convidativa novamente.

Pra ver tudo mesmo e ainda ter tempo de explorar os arredores e os pontos menos óbvios, o ideal seria uma semana, no mínimo. Mas lógico que tem gente que faz em menos, bem menos.

A melhor época é sempre e depende dos interesses. No verão é bem quente e o bacana é combinar com uma esticada até Ibiza/Formentera (meus favoritos), Palma de Mallorca ou Menorca, que são ilhas super badaladas no verão e sobre as quais falarei em outro post. Outono e primavera possuem temperatura mais amena, tudo menos cheio e o inverno na cidade raramente é rigoroso (mas já peguei até uma neve de leve).

Lista dos pontos óbvios e absolutamente imperdíveis:

  • La Sagrada Família
  • La Pedrera – Casa Milà
  • Casa Batlló + Casa Amatler + Casa Lléo
  • Museu Picasso
  • La Catedral
  • Park Güell
  • Fundació Joan Miró
  • La Rambla
  • Barceloneta
  • Bairro Gótico
  • Palau de Música Catalana
  • Basílica de Santa Maria del Mar
  • Camp Nou (pra quem curte futebol, eu nem acho nada de mais mas curti assistir a um jogo)
  • MACBA
  • Plaza de España + Montjuïc + Palau Nacional (MNAC)

*Diversas atracões mencionadas acima devem ser reservadas com antecedência pela internet, como o Museu Picasso e o Park Güell, por exemplo.

E agora vamos ao que interessa, que são as dicas mais focadas que vou separar por bairros:

  • Eixample

Um bairro “phyno” e uma das áreas mais gostosas para morar em Barcelona, onde estão as lojas internacionais mais conhecidas (Prada, Gucci, Hermés, Céline etc) e diversos bons hotéis e restaurantes. Alguns dos ícones modernistas da cidade ficam nessa área e nada mais gostoso do que passear pela região, parando nos bares e lojas.

Passeig de Gràcia is the most important and beautiful commercial street in BCN
Passeig de Gràcia é a mais linda e importante rua comercial em BCN

Onde comer: 1) Imperdível, maravilhoso, quero agora é o Tapas24, do Chef Carles Abellan – bem mais interessante sentar dentro, no balcão, pois funciona como uma mesa do Chef e dá pra acompanhar todo o movimento da cozinha. Não deixem de beber a cava da casa e pedir o bikini (sanduíche trufado) e a buemba de Barcelona e as lentilhas e tudo! Tapas delícia;

Tapas24! Bar de tapas incrível do Chef Carles Abellan
Tapas24! Bar de tapas maravilhoso do Chef Carles Abellan

2) Também bem gostoso para tapas é a Cerveceria Catalana; 3) Para comida tradicional e criativa e uma mesa do chefe maravilhosa, o lugar é o BistrEau, no hotel Mandarim Oriental; 4) Monvínic para comida tradicional e vinho; 5) Xerta é estrelado (uma estrela Michelin), elegante, contemporâneo e tem uma cozinha aberta incrível, vale demais; 6) Boca Grande é mais cool do que bom restaurante e a visita ao banheiro lindo é obrigatória; 7) Céleri é paixão à primeira vista – fica no térreo do mercado orgânico e foca em comida crua, orgânica, saudável – existe opção vegana, vegetariana e com proteína animal. Ambiente lindo, super relax e uma estrela Michelin; 8) Disfrutar é imperdível, o “El Bulli mais acessível”, aberto por três ex chefs do famoso e saudoso restaurante – interior descontraído, nada formal;

Belíssimo interior do Disfrutar
Belíssimo interior do Disfrutar

9) Moments também fica no hotel Mandarim Oriental, possui duas estrelas Michelin e uma mesa do chef que é sucesso, 10) Lasarte é o único restaurante três estrelas Michelin da cidade e oferece menu degustação e opções à la carte inovadoras; 11) O minimalista Alkimia (uma estrela Michelin) impressiona tanto pelo interior quanto pela cozinha avant-garde e é um clássico;

Pratos que são pura arte no Alkimia
Pratos que são pura arte no Alkimia

12) Roca Moo oferece cozinha criativa e já vale a visita só pelo ambiente. Fica no belo hotel OMM e rola opção de balcão ou mesa. Uma estrela Michelin; 13) Pakta é outro restaurante do chef Albert Adriá com estrela Michelin e a experiência é bastante diferente  – o ambiente é “peruanamente” colorido, lembrando uma taverna japonesa e a cozinha uma fusão de estilo japonês e peruano; 14) El Nacional é um cluster de restaurantes num ambiente lindo, meio retrô-luxo e o único “drama” aqui são os turistas/lotação, que depende do horário (almoço mais tranquilo); 15) Niño Viejo é um tacos bar de-lí-cia, que fica no mesmo endereço do 16) Hoja Santa, mexicano uma estrela Michelin; 17) Artte é outra opção para quem curte comida saudável e vale demais a visita já pelo maravilhoso espaço, que une arte, música, exposições e comida.

  • El Born

Bairro super descolado que também amo! Aqui está localizado o Museu Picasso e diversas lojinhas e bares mais alternativos. Nos últimos anos ganhou uma roupagem bem mais sofisticada mas continua com carinha hype.

Pelas ruas do El Born
Pelas ruas do El Born

O canto onde está o El Born Centre Cultural reúne alguns bons restaurantes/bares e merece a visita – arquitetura interessante de um antigo mercado e sítios arqueológicos, coisa bem rápida pra visitar e pode ser sem custo pois a entrada é franca (sem áudio-guide).

El Born Centre de Cultural
El Born Centre de Cultural

Onde comer: 1) El Xampanyet é um clássico, incrível desde sempre. Mas lotado, muitas vezes pra tomar um drink em pé (chegar cedo);

El Xampanyet, um clássico
El Xampanyet, um clássico

2) Senyor Parellada para cozinha catalã clássica; 3) Ten’s é um gastro-bar que oferece tapas e também porções pequenas num ambiente delícia, 4) Montiel é um restaurante mais gourmet que trabalha com menus saborosos; 5) Llamber é bem da modinha, para dividir pratos e todos que provei estavam gostosos.

Carpaccio de Salmão e sorvete de gengibre no Llamber
Carpaccio de Salmão e sorvete de gengibre no Llamber
  • Barrio Gótico 

Parte mais antiga da cidade, da época romana, repleta de vielas únicas. A atracão principal é a Catedral e o bairro todo, se perder por ali. O lugar que mais curto é a Plaza Reail, que parece um tanto decadente e aí mesmo está seu charme. Sempre volto.

A lanternas são a estréia de Gaudí em BCN
A lanternas são a estréia de Gaudí em BCN

Apesar de ofuscada pela grande e imponente Catedral, a Basílica de Santa Maria del Mar também impressiona com seu estilo Gótico Catalão puro, raro de ser encontrado em grandes igrejas medievais.

Onde comer: 1) El Cercle fica no Reial Cercle Artístic e oferece cozinha variada (desde japa à espanhola) em diversos ambientes. Aqui vale ir para sentar no terraço num dia quente e observar a multidão passando pela rua e se jogando nas compras; 2) Koy Shunka é o melhor japa de BCN, tem o nigiri mais incrível e também uma estrela Michelin. Reserve lugar no balcão ou mesa no salão onde está a cozinha aberta; 3) Kak Koy é outro japa gostoso, num ambiente moderno, meio industrial e cujo carro chefe é a robata, perfeit.

  • El Raval 

Anteriormente conhecido como o bairro chinês, era mega alternativo, até meio perigoso anos atrás. Hoje em dia abriga centros culturais como o MACBA e o Centre de Cultura Contemporânea de Barcelona, além de vários bares e boutiques da moda e alguns bons restaurantes. É um bairro com grande presença de imigrantes.

Onde comer: 1) Incrível Dos Palillos (uma estrela Michelin), extremamente original com fusion de cozinha oriental, tapas e ingredientes espanhóis). São dois balcões – um na entrada que não aceita reserva e outro mais adentro, mais gourmet. Ambos muito bons; 2) Tickets, amo, demais, único – são vários balcões, onde tapas que homenageiam pratos do icônico El Bulli tomam forma na frente dos clientes. Restaurante do chef Albert Adriá;

Azeitona líquida indescritível no Tickets
Azeitona líquida indescritível no Tickets

 

Não deixem de pedir a rosa de sobremesa no Tickets
Não deixem de pedir a rosa de sobremesa no Tickets

3) Fonda España fica num prédio modernista lindo e a cozinha é tradicional; 4) Lolita Taperia não está localizado exatamente no El Raval é um bar de tapas moderno e gostoso, bem despojado; 5) Lando é super cool, fica em uma rua afastada mas badalada num ambiente de tijolos aparentes e mesas de madeira. Oferece opções veganas e tem menu assinado pelo chef Benbassat, especializado em cozinha macrobiótica.

Cool Lando
Cool Lando
  • Barceloneta 

É o mar, a praia!!! Ok, a areia não é das mais brancas e o mar Mediterrâneo nessa área também não está em seu melhor tom. Mas o clima é delícia. Aliás, no verão/primavera super recomendo se hospedar nessa área – são dois hotéis principais incríveis (já fiquei nos dois e recomendo sem medo) e diversos bares e restaurantes gostosos, que ficam exatamente na faixa entre um hotel e outro e também nos próprios hotéis. Atenção para o monumento da alemã Rebecca Horn “Homenatge a la Barceloneta” e para a escultura de Frank Gehry “El Peix”.

"Homenatge a la Barceloneta" by Rebecca Horn
“Homenatge a la Barceloneta” de Rebecca Horn

 

"El Peix", de Frank Gehry, visto da piscina do Hotel des Arts
“El Peix”, de Frank Gehry, visto da piscina do Hotel Arts, em Barceloneta

Onde comer: 1) Bravo 24 fica no W hotel e é super moderno. Sentar fora é demais pois rola jardim com vista para o mar (reservar essas mesas). Porém, dentro o ambiente todo trabalhado em madeira também é bem bonito. Mais um restaurante do chef Carles Abellan, que adoro; 2) Torre d’Alta Mar é pra quem curte vista do mar bem do alto; 3) Suquet de l’Amirall é um restaurante bem com cara de praia, terraço gostoso e comida saborosa; 4) Arola é maravilhoso, no hotel Arts, urbano, relaxado, bem jovem; 5) Els Pescadors já está mais distante mas recomendo pra peixes e frutos do mar; 6) Bestial, do famoso grupo Tragaluz, já teve seu auge mas continua sendo uma opção e ambiente gostosos para uma refeição à beira mar; 7) Enoteca é a estrela da “haute-cuisine” na Barceloneta/Port Olimpic, com duas estrela Michelin. Vinhos decoram o belo ambiente, no Hotel Arts.

  • Monjuic 

Concentra uma quantidade imensa de coisas bacanas, como a Fundação Joan Miró (maravilhoso! Esperem encontrar também Jackson Pollock e Mona Hatoum, por exemplo), o Museu Nacional de Arte da Catalunya, a Plaza España e o Pavelló Mies van der Rohe, que é pra morrer de amor e significa um verdadeiro marco para a arquitetura européia moderna, assim como a “morada” da icônica poltrona Barcelona, criada especialmente para o Pavilhão por Mies van der Rohe.

"Less is More", a célebre frase de Mies van der Rohe
“Less is More”, a célebre frase de Mies van der Rohe

 

Poltrona Barcelona, um clássico criado para o Pavilhão de BCN
Poltrona Barcelona, um clássico criado para o Pavilhão de BCN, hoje fabricada pela marca Knoll

Onde comer: 1) Espai Kru é um restaurante bem bonito, possui cozinha aberta e um menu fusion com opções cruas e cozidas; 2) Mano Rota segue o estilo bar e restaurante num ambiente industrial com menu mega interessante à la carte e também degustação.

 

Decidir onde se hospedar em Barcelona não é uma tarefa complicada. Sobram hotéis legais para escolher e listarei alguns nesse post, não por ordem de preferência:

  1. W Barcelona***** é uma rede hoteleira que sempre me dei bem. Já fiquei no de Barcelona e aprovo super. Está em La Barceloneta mas mesmo assim bem próximo de bairros como o El Born, por exemplo. A estrutura de restaurantes do hotel é farta e o clima descontraído, jovem, que é a proposta W. Piscina linda, clima de baladinha, panorama total para o mar.

    Piscina do W Hotel com vista para o Mediterrâneo
    Piscina do W Hotel com vista para o Mediterrâneo
  2. Hotel Arts – Ritz Carlton***** praticamente dispensa comentários. É um clássico, um dos hotéis mais incríveis de Barcelona há duas décadas. É mais tradicional e eu amo. Também já me hospedei e tudo foi impecável. Quartos imensos com vistas inesquecíveis. E isso sem contar que nesse hotel fica um dos Spas mais legais da cidade, o 43 The Spa, com vistas escandalosas para o mar.

    Café da manhã com vista no Hotel Arts
    Café da manhã com vista no Hotel Arts
  3. Mandarin Oriental***** nunca dá errado, né?! E o de Barcelona é opcão certeira pra quem quer ficar mais central. Localizado na Passeig de Gracia, rua linda da cidade, pertinho de algumas casas de Gaudi, é possível andar para vários destinos turísticos. Tem uma piscina no último andar que não impressiona mas os quartos são espaçosos e o serviço também muito bom, típico da rede.

    Banheiro minimalista do hotel MO
    Banheiro minimalista do hotel MO
  4. DO Placa Reial***** é super intimista, pertence a uma família e possui apenas 18 quartos decorados com mobília que num primeiro momento não combinaria. Pertinho da La Rambla e com terraço e piscina com vista para a Placa Reial.
  5. Ohla Barcelona é um boutique lindo, bem localizado, no bairro Eixample e próximo ao Bairro Gótico. Conta com restaurante gourmet e piscina/lounge agito no rooftop.
  6. The Serras***** é um boutique demais, no Bairro gótico e onde foi o primeiro estúdio de Pablo Picasso. Vista para o revitalizado Port Vell. São 30 quartos bem confortáveis e ambiente jovem. Piscina na cobertura com vista.
  7. El Palauet são seis suites num prédio modernista que contém todos os excessos da época mas que foi completamente renovado e conta com peças mais modernas de Philippe Starck, Jacobsen e casal Eames. Recomendo a Tibidabo suite.
  8. Olivia Balmes**** é um 4* superior que eu amei. Me hospedei nesse hotel em minha última estada em Barcelona, há algumas semanas (01/2017) e achei realmente muito bom. Nossa suite era imensa, super bem planejada, o staff muito atencioso e a localização, pra quem quer fazer quase tudo à pé, é maravilhosa. Tem piscina no terraço, que não usamos pois estava frio.
  9. Hotel Mercer***** é um boutique bem localizado pra quem curte ficar no Bairro Gótico – uma das poucas boas opções de hospedagem nessa região.  O quarto mais bacana é o Gran Deluxe.
  10. Hotel OMM***** trata-se de hotel, restaurante, Spa, bar e baladinha… tudo irretocável! No coração de BCN, no bairro Eixample.

    Suíte espaçosa no hotel OMM
    Suíte espaçosa no hotel OMM

Suficiente para um post só, né?! Mas logo menos tem mais! Fiquem à vontade para enviar perguntas e não deixem de acompanhar minhas viagens no Instagram @marineira !

Agora é só brilhar! Hasta la vista!

 

 

 

 

 

Você também pode gostar de

16 Comentários

  1. Já estive duas vezes em Barcelona e ainda acho que foi pouco! Não tem como não se apaixonar né? Achei seu post completão com os principais lugares, mas algo que adorei fazer por lá é andar meio sem destino, curtindo o clima. Ai que vontade de voltar!

  2. Oi Marina, acabei de chegar da Espanha, mas não tive a oportunidade de visitar Barcelona. Então, é claro que vou ter que voltar. Seu post me deixou com mais vontade ainda. Vou guardar com carinho e esperar pelos próximos.

  3. Adorei seu post.. Morro de vontade de conhecer Barcelona. Uma pena que perdemos a conexão com a cidade voando com a Singapore Airlines. Estava planejando visitar a cidade na minha ida ao Brasil esse anos, mas em Outubro do ano passado eles pararam de voar entre Singapura e São Paulo com parada em Barcelona.. Agora vai ter que ficar para quando me mudar para a Europa.
    Uma das coisa que me chamam atenção em Barcelona é o fato de aparentemente as olimpíadas de 92 ter sido o catalizador desse processo de modernização da cidade.

  4. Barcelona tem muitos elementos para se amar uma cidade, como você bem descreve vários deles. Não bastasse isso tem Gaudí e seu mundo maravilhoso.

    Contudo, entretanto (não sei explicar a razão) eu não amei BCN. Caminhei muito, visitei muitas coisas, me encantei por outras tantas, mas não sei… faltou aquele clique que define o amor! rsrsrsrs Vai entender né?! bjus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *